Açougue: Uma análise do mercado que você precisa saber

Por Mill – 07/05/2018

Consumo de carne deve subir em 2018: Você está preparado?

O Brasil é um dos grandes exportadores de carne bovina do mundo e todos sabemos disso. Mas, além de grandes exportadores de carne, também estamos voltando a ter um mercado interno muito forte, que precisa ser muito bem abastecido.

Com a última crise econômica, houve redução do poder de compra do brasileiro, e consequentemente uma significativa redução no consumo interno de carne bovina. Entretanto, a crise vai ficando para trás e o mercado de carnes novamente está se reaquecendo, com importantes melhoras no consumo em 2018.

Além disso, a tendência é que o consumidor se comporte de forma mais exigente quanto ao produto e ao serviço realizado pelos elos da cadeia da carne. Como atender esse cliente?

A crise está passando, e o consumo aumentando

Nos últimos anos, o Brasil enfrentou uma forte crise econômica. Como consequência, essa crise provocou redução na taxa de consumo per capita da carne no mercado interno. Mas a crise já está enfraquecendo e a economia brasileira está se recuperando. Em razão disso, várias análises indicam que 2018 pode levar ao crescimento no consumo doméstico de carne bovina.

Estimativas indicam que pode haver um aumento de 2,2% no consumo de carne bovina no Brasil, em comparação com o ano anterior. Esse crescimento no consumo tende a durar mais do que um ano. Projeções já indicam um potencial de aumento no consumo per capita de carne bovina no Brasil, que nos próximos 2 anos pode crescer até 4 quilos per capita.

Essa projeção de crescimento está pautada na diminuição da taxa de juros, no maior controle da inflação, na relativa estabilidade do câmbio, na redução (ou ao menos sua estabilização) do índice de desemprego e na melhoria do PIB, que, segundo o Banco Central crescerá 2,7% neste ano.

Qualidade do produto e do serviço são fundamentais

Além da retomada do consumo da carne bovina, vem sendo percebida outra tendência bastante forte: O consumidor doméstico está mais exigente quanto aos produtos que adquire. Esta exigência está ligada ao fato de o consumidor buscar uma experiência mais prazerosa de consumo, sempre com preços atraentes e máxima qualidade.

No mercado de carnes, essa tendência deve ser seguida por todos os elos da cadeia, desde o pecuarista, passando pelo frigorífico e finalizando no serviço de processamento da carne em açougues.

Dessa forma, é necessário que os açougues e frigoríficos brasileiros se preparem para oferecer produtos de qualidade, além de um serviço que preze pela excelência. Para isso, priorizar equipamentos e ferramentas de trabalho de qualidade para manusear a carne é imprescindível.