Alta tecnologia a serviço do agronegócio

Por G1 – 18/07/2018

Lançado em abril de 2018, o estudo da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), Visão 2030 o Futuro da Agricultura Brasileira, mostra que 61% dos produtores rurais já usam smartphones e o WhatsApp já é o principal meio de comunicação na zona rural, utilizado por 96% dos produtores com acesso à internet. A expansão da tecnologia e a convergência de áreas têm causado impactos positivos para o agronegócio. Conheça alguns:

A melhora da precisão: os produtores agora têm acesso maior e melhor de informações que ajudam na tomada de decisões. Tratores com GPS, drones com sensores multiespectrais e até equipamentos conectados entre si pela Internet das Coisas (IoT) ajudam a monitorar as safras individuais. As novas tecnologias ainda têm contribuído para uma análise mais eficaz da acidez do solo e identificação das necessidades de nutrientes.

Segundo uma pesquisa da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, dos sete fatores que influenciam na produção, o clima ficou com 27% da responsabilidade pela qualidade da safra. Em contrapartida, dois terços dos resultados de produtividade das lavouras dependem de fatores que podem ser controlados pelo produtor rural. Com aplicativos de sistema de coleta, armazenagem e gerenciamento de dados, o agricultor pode ter acesso a informações que o ajudam a definir qual é o processo mais eficiente no momento.

Aumento da produtividade: Até 2050, a população mundial deve aumentar em quase 40%, chegando a um total de 9,6 bilhões de pessoas, segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). Para conseguir atender a essa população, estima-se que a indústria agrícola vai precisar produzir uma quantidade de comida 70% maior. Isso significa ter, a mais por ano, aproximadamente, 1 bilhão de toneladas de trigo, arroz e outros cereais.

Nesta empreitada, a criação de softwares e algoritmos têm permitido a geração de dados que podem ser usados pelo agricultor de forma estratégica na gestão de sua propriedade, para aumentar o rendimento agrícola e a sustentabilidade no campo. Além disso, o protagonismo dos consumidores ajuda a acelerar movimentos globais em direção a criação conjunta de produtos e serviços e à redução do desperdício de alimentos.

Redução de custos: O número de aplicativos para pequenos, médios e grandes produtores, especialmente para a gestão das áreas agrícolas tem se multiplicado a cada ano. Hoje, por meio desses programas, já é possível realizar cotação de insumos, previsão do clima, identificação de doenças, uso de defensivos, irrigação, código florestal e comercialização. Com os dados mais detalhados, os agricultores têm melhor planejamento, melhor entrega e um entendimento muito mais preciso das principais necessidades do cliente. Dessa forma, os custos também ficam reduzidos o aproveitamento é maior.

Futuro: A Embrapa ainda aponta que no Brasil os produtores serão beneficiados com o lançamento do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas e a consequente ampliação do Programa Nacional de Banda Larga. O acesso e aquisição de dados e a supervisão de operações agrícolas acontecerão em tempo real e máquinas serão acionadas remotamente, a partir do desenvolvimento de aplicativos para auxiliar pequenos e grandes produtores em tarefas como gestão das áreas agrícolas.