Embrapa aborda inovação e agricultura irrigada no Cosag

EMBRAPA – 05/02/2020

O tema “irrigação para o desenvolvimento do agronegócio brasileiro” fomentou os primeiros debates do ano do Conselho Superior do Agronegócio (Cosag) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). A primeira reunião de 2020, realizada em 3 de fevereiro, na Fiesp, contou com participação expressiva de lideranças do agro, pesquisadores, e gestores públicos. A Embrapa contribuiu com as discussões por meio das apresentações sobre o mapeamento de agritechs (Radar AgTech Brasil 2019), realizada pelo diretor de inovação e tecnologia Cleber Soares, e irrigação para o desenvolvimento do agronegócio, apresentada por Luís Henrique Bassoi, pesquisador da Embrapa Instrumentação (São Carlos, SP).

“Temos um sistema de inovação agropecuária muito sólido no Brasil, que favorece o surgimento dessas novas startups. Foram mapeadas 1.125 agritechs. Na região Sudeste, mais de 50% estão no Estado de São Paulo. Vinculadas antes da porteira são 196, 400 dentro da porteira, e mais de 500 fora da porteira”, salienta Cleber.

Já o pesquisador Bassoi explicou o conceito de “ciclo hidrológico” para destacar a diferença entre consumo e utilização de água. Mesmo levando em conta que grande parte da água utilizada para irrigação é devolvida para a atmosfera ou para os corpos de água, é preciso aumentar a eficiência de uso da água na irrigação, argumenta. Dentre outras ações, o pesquisador sugere otimizar o planejamento e a gestão do uso da água em áreas irrigadas por meio de geotecnologias e tecnologias da informação; viabilizar a utilização de água salina, residuária e de efluentes para a irrigação; e fomentar o uso de energia solar, eólica e de biomassa para  irrigação.

O ex-ministro da agricultura Alysson Paolinelli, presidente da Associação Brasileira de Produtores de Milho (Abramilho), defendeu a agricultura tropical sustentável e observou que a água é fator essencial. “Temos no Brasil doze meses de sol, luz e calor que dão às plantas condições necessárias para seu desenvolvimento permanente. Precisamos manejar bem esse fator preponderante que é a água. Com a irrigação, podemos pensar em até três safras por ano”. O Brasil tem 6 milhões de hectares irrigados, dos quais quase 3 milhões estão no Cerrado.

Para a analista Cynthia Cury, gerente de relações institucionais e governamentais da Embrapa, a participação da Empresa nos encontros do Cosag é relevante para prospectar demandas do setor produtivo, além de possibilitar debater propostas de políticas públicas. “A participação da Embrapa no Cosag possibilita interagir com lideranças e fortalece nossa capacidade de contribuir com a formulação de políticas públicas alinhadas ao setor agro”, comenta.