Embrapa é destaque no lançamento do Plano Safra

EMBRAPA – 18/06/2020

A criação da Embrapa, como responsável pela transformação e pelo desenvolvimento da agricultura brasileira, foi destaque do discurso do presidente da República, Jair Bolsonaro, nesta quarta-feira (17), durante a solenidade de lançamento do Plano Safra 2020-2021, no Palácio do Planalto.

Segundo ele, a iniciativa de investir em ciências agrárias, na década de 1970, e de enviar jovens – em grande parte, filhos de produtores rurais – para estudar no exterior e trazer para o país o conhecimento que pudesse ser adotado no campo resultou no que definiu como o “início do crescimento do Brasil”. “Porque se descobriu na época que nós dependíamos do que o mundo produzia”, disse. “Hoje, somos capazes de alimentar 1 bilhão de pessoas por ano. Colhemos o que foi plantado lá fora”.

Durante o evento, que contou com a presença de autoridades, entre elas, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina, a Embrapa também foi citada pelo secretário de Política Agrícola do ministério, Eduardo Sampaio, ao anunciar o aplicativo PSR – Programa de Seguro Rural. Criado pelo Departamento de Gestão de Riscos do Mapa e desenvolvido em parceria com a Embrapa Informática Agropecuária, a ferramenta – segunda a ser lançada em dois anos consecutivos no anúncio do Plano Safra pelo Governo Federal – possibilita aos produtores o acesso a informações relacionadas ao seguro rural.

“Por meio dele, será possível, por exemplo, consultar por município os produtos do seguro disponíveis e fazer a simulação de quanto vai custar para o agricultor”, explicou. “Neste esforço, agrademos ao presidente da Embrapa, Celso Moretti, à chefe-geral da Embrapa Informática Agropecuária, Sílvia Masshurá, e ao analista Silvio Evangelista, que, segundo o secretário, trabalharam de casa, no desenvolvimento do aplicativo.

Entre as principais funcionalidades, o aplicativo PSR garante ao produtor acesso ao Guia de Seguros Rurais, com informações que explicam como funciona o sistema de seguro rural no Brasil, e ensina as principais modalidades de seguro rural disponíveis com explicação e simulados de indenizações; além de consulta às regras de subvenção,  legislação e  informações do PSR;  oferece dicas de direitos e deveres sobre o seguro rural; e possibilita o acesso ao Atlas do Seguro Rural, onde é possível fazer pesquisas com os dados do programa e aos relatórios estatísticos do PSR.

Segundo a chefe da Embrapa Informática Agropecuária, Silvia Masshurá, uma das características mais importantes da ferramenta é o atalho para acessar o aplicativo Plantio Certo, que possibilita aos produtores saber onde, o que e quando plantar. “O Zoneamento Agrícola de Risco Climático – Zarc é um instrumento científico obrigatório no acesso ao seguro rural do PSR, com janelas de plantio e informações de risco climático para cada cultura e município, cujas informações resultaram da pesquisa da Embrapa”, explicou ela. “Todo esse trabalho está sendo feito no âmbito de gestão de risco agrícola”.

O secretário Eduardo Sampaio citou a Embrapa ainda nas melhorias que estão sendo implementadas com base nas pesquisas de Zarc. “Estamos partindo agora para o Zoneamento 4.0, zoneamento por nível de manejo, voltado a separar mais os produtores de acordo com o sistema de produção que eles têm”.

Sobre as referências feitas à Embrapa, durante a solenidade no Palácio do Planalto, o presidente da Empresa, Celso Moretti, também presente ao evento, disse ter ficado satisfeito. “As palavras do secretário Eduardo Sampaio, da ministra Tereza Cristina e do presidente da República, Jair Bolsonaro, são um merecido reconhecimento ao trabalho realizado pela Embrapa nas últimas cinco décadas”, comentou.

Plano Safra

O Plano Safra 2020-2021 vai disponibilizar R$ 236,3 bilhões para apoiar a produção agropecuária nacional, um aumento de R$ 13,5 bilhões em relação ao plano anterior. Os financiamentos poderão ser contratados de 1º de julho de 2020 a 30 de junho de 2021. Do total, R$ 179,38 bilhões serão destinados ao custeio e comercialização (5,9% acima do valor da safra passada) e R$ 56,92 bilhões serão para investimentos em infraestrutura (aumento de 6,6%). Todos esses recursos vão garantir a continuidade da produção no campo e o abastecimento de alimentos no país durante e após a pandemia do novo Coronavírus.

Os pequenos produtores rurais terão R$ 33 bilhões para financiamento pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), com juros de 2,75% e 4% ao ano, para custeio e comercialização. Para os médios produtores rurais, serão destinados R$ 33,1 bilhões, por meio do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), com taxas de juros de 5% ao ano (custeio e comercialização). Para os grandes produtores, a taxa de juros será de 6% ao ano.

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse que o Plano Safra continua focado nos pequenos e médios produtores. Segundo ela, o incentivo à produção sustentável também tem destaque na safra 2020/2021, que vem com mais recursos e melhores condições de financiamento, a juros mais baixos. “Semear, plantar, cuidar, esperar florescer e enfim colher os frutos da terra é e sempre será algo essencial e belo. Uma atividade totalmente ligada à natureza só pode ter como caminho a busca da sustentabilidade”, destacou a ministra. Ela também lembrou que, graças ao trabalho do agro e das áreas de transporte e logística, o Brasil manteve o abastecimento em todo o país e honrou os compromissos com seus parceiros comerciais.