FIM DO AUXÍLIO EMERGENCIAL REDUZIRÁ O PODER DE COMPRA DE GRANDE PARCELA DA POPULAÇÃO ACREANA

  • Home
  • Fique por dentro
  • FIM DO AUXÍLIO EMERGENCIAL REDUZIRÁ O PODER DE COMPRA DE GRANDE PARCELA DA POPULAÇÃO ACREANA

 

Depois de nove meses e nove parcelas – cinco de R$ 600 e quatro de R$ 300 -, chega ao fim o sucesso da experiência do auxílio emergencial para o ambiente econômico. É consenso que ele levou alento a mais de 500 mil acreanos, pois, de acordo com o IBGE, em cerca de 56,7% dos domicílios do Acre, ao menos um morador recebeu o benefício somente no mês de novembro – percentual que chegou a ser de 60,5% em agosto. O auxílio, em meio à pandemia do novo Coronavírus, diminuiu o impacto econômico das medidas de isolamento social. Com o seu fim, a maioria desses trabalhadores, sobretudo os informais, ficará sem ajuda financeira do governo federal já a partir de janeiro e seus efeitos deverão se refletir no consumo das famílias mais carentes. Os dados são do IBGE e foram trabalhados pela equipe técnica do Fórum Empresarial de Inovação e Desenvolvimento do Acre. Mais informações sobre a realidade econômica do Acre podem ser acessadas no site do Observatório.