Preocupação com o planeta mudou hábitos de 75% dos consumidores

CICLO VIVO – 28/11/2019

Uma pesquisa realizada pela Toluna, empresa de estudos com consumidores, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas – FGV mostra que a preocupação com o meio ambiente e com a sustentabilidade está mais presente nas ações e escolhas das pessoas, marcas e empresas no Brasil. De acordo com a pesquisa, 75% das pessoas mudaram de alguma forma seus hábitos de consumo devido a preocupações com o planeta.

O estudo aconteceu entre os dias 28 de outubro e 4 de novembro de 2019 e envolveu 1034 pessoas de diferentes classes sociais. Além das pessoas que declararam ter alterado seus hábitos de consumo por preocupações com o planeta, 70% disseram ter mudado pela preocupação com o próprio bem estar e 65% pela preocupação com as próximas gerações. As mudanças são consideradas definitivas por 76% das pessoas entrevistadas.

Embalagens recicláveis e redução do uso de plástico

“As principais mudanças foram em relação a preferência por embalagens recicláveis ou reutilizáveis e redução do uso de plástico, como canudos e copos. No momento que os consumidores optam por uma mudança de comportamento, se dizem pouco dispostos a voltar atrás”, explica a Professora de Marketing Lucia Barros, da FGV. “Como era de se esperar, essas mudanças não são homogêneas e há segmentos que estão mais dispostos a ter comportamentos mais sustentáveis do que outros”.

O estudo também analisou quais atitudes as pessoas acreditam que tornam as marcas mais sustentáveis. Trabalhar com embalagens recicláveis foi a mais lembrada, mas outras ações também foram mencionadas de forma consistente, como mostra o gráfico abaixo.

“Temos notado na Toluna um crescente interesse das empresas em obter dados e insights relacionados à percepção dos consumidores sobre temas bastante sensíveis, como sustentabilidade, questões sociais e ambientais. O maior desafio para essas marcas, após compreender melhor o interesse das pessoas, é alinhar-se de forma autêntica e verdadeira a esses anseios”, afirma Luca Bon, diretor-geral da Toluna no Brasil.